Aba 1

Postado em 03 de Março de 2016 às 18h52

Acenm/CDL expõe preocupação com o impacto do Decreto 380

Acenm/CDL O Decreto 380/2015 que entraria em vigor no dia 1º de abril foi prorrogado por 90 dias. A decisão foi tomada em reunião no Palácio Paiaguás com deputados estaduais e representantes dos segmentos...

O Decreto 380/2015 que entraria em vigor no dia 1º de abril foi prorrogado por 90 dias. A decisão foi tomada em reunião no Palácio Paiaguás com deputados estaduais e representantes dos segmentos empresariais.

O decreto altera a forma de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), alinhando Mato Grosso ao que já é praticado nos outros Estados do país.

Será formado um grupo de trabalho composto pelo governo, através das Secretarias de Fazenda, da Casa Civil e a de Desenvolvimento Econômico; por representantes da classe empresarial, Ordem dos Advogados do Brasil/OAB-MT; Conselho Estadual de Contabilidade e de parlamentares, para análise da proposta. Serão feitas reuniões semanais e será acompanhado por estudos que a Fundação Getúlio Vargas (FGV) fará sobre a legislação tributária e coordenadas pelo secretário da Sefaz, Paulo Brustolin.

Atendendo aos pedidos de representantes do setor empresarial, o secretário-chefe da Casa Civil assumiu o compromisso de, ao fim dos trabalhos da comissão, avaliar a necessidade de uma nova prorrogação do Decreto 380/2015.

POSICIONAMENTO DA ACENM/CDL

Percebendo a importância do esclarecimento sobre o Decreto 380 à população mutuense, em especial para classe empresarial, o presidente da Acenm, Jimmy Huppes e o assessor jurídico da Acenm/CDL, Oduvaldo Lopes, se posicionaram sobre o assunto em entrevista à imprensa. Confira:

“ A Acenm/CDL vem acompanhado todas as publicações desde o primeiro momento de exibição do Decreto. Este é um assunto sério, gostaríamos que fosse disseminado. Nossa maior preocupação é aumento de impostos que trará impacto não só para o empresário mas também para o consumidor, pois haverá um aumento do custo final de praticamente todas as mercadorias.
Gostaríamos de incentivar o empresariado local a ficar atento ao que está acontecendo. Haverá uma grande mudança na cobrança de ICMS no estado. Dificilmente alguma empresa não sentirá o efeito na sua carga tributária.

Sugerimos aos empresários que procurem auxílio de seu contador para esclarecer de forma precisa quanto será o impacto.”

Assessoria de Comunicação – Acenm/CDL 

Veja também

Aumento do ICMS em MT vai deixar produtos mais caros em 2020, dizem empresários27/12/19 Empresários de vários setores disseram que vão repassar aumento aos consumidores, um deles é o de medicamentos. Remédios vendidos no estado podem encarecer entre 18% e 37%, segundo o Sindicato das Farmácias. Por Leandro Maia, TV Centro América A partir de janeiro os preços dos produtos devem subir. A reforma tributária do governo do estado entra em vigor já no começo de 2020. O ICMS - Imposto sobre a......
Governo do Estado reformula incentivos fiscais e publica novas alíquotas16/12/19 Mudança principal é que a partir desta reformulação, os benefícios serão concedidos por setores e não por empresas individuais Por Thielli Bairros | Sedec-MT O Governo de Mato Grosso publicou no Diário Oficial do Estado, que circulou na quarta-feira......

Voltar para Notícias

Acesse o regulamento no anexo a seguir:

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.