Aba 1

Postado em 20 de Dezembro de 2019 às 08h36

Cheque Especial: Bancos só poderão cobrar taxa para limites acima de R$ 500

Economia e mercados (135)

Segundo o BC, cerca de 19 milhões de usuários de cheque especial têm limite de até R$ 500 e estão isentos das taxas.

Quem tem até R$ 500 de limite no cheque especial não poderá ser cobrado pelas taxas previstas para 2020.

Em novembro, o Banco Central anunciou que a partir de 2020 os bancos poderão cobrar taxas pelo uso do cheque especial, mas teriam um limite de juros.

O Conselho Monetário Nacional divulgou que os juros do cheque especial cobrados pelos bancos deve se limitar a 8% em 2020, mas as instituições podem cobrar uma taxa mensal para oferecer o produto aos clientes.

Até então, os bancos só são remunerados quando os clientes de fato usam o cheque especial (e, portanto, pagam juros) e não podem cobrar apenas para oferecer esse crédito.

Cobranças Cheque Especial 2020

A nova regra esclarece que pessoas que tem limite de até R$ 500 no cheque especial não poderão ser cobradas. Contudo, quem tiver mais, pagará até 0,25% sobre o valor que exceder esses R$ 500.

O Banco Central autorizou a cobrança da taxa uma vez por mês. Segundo o BC, cerca de 19 milhões de usuários de cheque especial têm limite de até R$ 500 e estão isentos.

Assim, um cliente que tem limite de R$ 10.000 no cheque especial pagará todos os meses 0,25% sobre R$ 9.500 ? o equivalente a R$ 23,75. Caso ele use o crédito, essa quantia será descontada do valor que ele terá de pagar em juros.

Os clientes que têm limite de crédito superior a R$ 500 que não querem ser taxados em 0,25% ao mês precisam contatar seus bancos para pedir a redução do valor do crédito disponível. O Procon orienta que essa solicitação seja feita por escrito e com registro de protocolo.

Alterar limite do cheque especial

A nova regra, tanto para o teto dos juros quanto pela cobrança pelo limite, já começa a valer no dia 6 de janeiro de 2020 para novos contratos. Para quem já tem cheque especial, a mudança acontecerá em 1º de junho do ano que vem.

Vale lembrar que os clientes podem pedir a qualquer momento para tirar ou baixar o limite dessa modalidade de crédito. Os bancos precisam de autorização do consumidor para aumentar o valor, diferentemente do que ocorre atualmente.

Fonte: Portal Contábeis

Veja também

Setor produtivo une forças para levantar propostas favoráveis a MT frente à reforma tributária nacional24/02/20 Setor produtivo une forças para levantar propostas favoráveis a MT frente à reforma tributária nacional Diversos representantes do setor produtivo de Mato Grosso, dentre eles a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Mato Grosso (Facmat), reuniram-se na manhã desta sexta-feira (21.02), com o senador Wellington Fagundes......
Vendas e empregos crescem em novembro, aponta Acenm/CDL29/12/20 Confira o relatório econômico para Nova Mutum referente ao décimo primeiro mês de 2020 Nova Mutum registrou em novembro um saldo positivo de 7 novos postos de trabalho (712 admissões x 705 demissões), impulsionado......
Parceria entre Acenm/CDL e Caixa acelera análise de crédito para Pronampe08/07/20Empresas interessadas devem procurar a Acenm/CDL para receber o atendimento prioritário Empresas associadas à Acenm/CDL passam a ter uma via mais rápida para buscar a nova linha de crédito GiroCaixa Pronampe, oferecida pela Caixa Econômica Federal, no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e......

Voltar para Notícias

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.