Aba 1

Postado em 14 de Julho às 08h13

Crescimento das vendas do comércio demonstram retomada do setor, avalia presidente da CNDL

Economia e mercados (102)Fomento (56)

Após tombo recorde com pandemia, vendas do comércio crescem 13,9% em maio, diz IBGE

O crescimento de 13,9% nas vendas do comércio varejista, divulgado na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que o setor iniciou o seu processo de retomada econômica, avalia o presidente da CNDL, José César da Costa.

"Após o tombo recorde causado pelo fechamento do comércio, os números mostram que o setor tem reagido, a recuperação leva tempo, mas a injeção do auxílio emergencial e dos créditos disponibilizados ao setor devem ajudar no aumento das vendas", avalia Costa.

Em entrevista à agência de notícias Reuters, na última semana, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que a influência do auxílio emergencial sobre a economia deve durar, pelo menos, até o final do ano, uma vez que os saques não têm sido feitos de uma só vez e, com a decisão do governo de estender o pagamento de R$ 600 a informais e vulneráveis por mais dois meses, há um fluxo pela frente que ainda está por vir.

Para o presidente da CNDL, o setor ainda conta com a melhoria do acesso ao crédito, além da aprovação e do anúncio de novas medidas pelo governo federal.

"O crédito demorou a chegar efetivamente ao empresário, percebemos um olhar do governo para que isso fosse corrigido. O Pronampe finalmente está operando e novas medidas têm sido aprovadas para destravar o crédito, isso vai dar mais fôlego ao setor. A expectativa é de que esse crescimento se mantenha no segundo semestre", disse Costa.

A reabertura das atividades no país também contribui para as expectativas de retomada do setor. Para o presidente da CNDL, a população está passando por um momento de mudança cultural, onde a segurança será fundamental para que as pessoas voltem a entrar nas lojas para fazer suas compras.

"À medida que a economia vai reabrindo e que as pessoas voltam a circular, a tendência é de que as vendas aumentem. Mas o consumidor precisa se sentir seguro e o varejo tem papel fundamental na construção desse novo modelo de relacionamento entre as pessoas. Os protocolos de segurança precisam ser seguidos por lojistas e pela população para que a retomada seja efetiva. Os desafios continuarão, uma vez que passamos por patamares historicamente baixos, mas a recomposição segura das atividades tem papel fundamental nesse processo de retomada", afirma José César da Costa.

Fonte: CNDL

Veja também

Índice do aluguel: IGP-M acumula taxa de inflação de 23,79% em 12 meses, diz FGV10/11 Taxa de 2,67% na primeira prévia de novembro é superior ao 1,97% registrado na primeira prévia de outubro O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel no país, registrou inflação de 2,67% na primeira prévia de novembro deste ano. A taxa é superior ao 1,97% registrado na primeira prévia de......

Voltar para Notícias