Aba 1

Postado em 19 de Maio de 2020 às 14h44

Empregadores podem suspender pagamento de dívidas do FGTS durante pandemia

Jurídico e Tributário (112)Alertas e Comunicados (122)

Medida trata do débito de parcelamentos antigos e novas contratações

O Conselho Curador do FGTS autorizou aos empregadores que tenham aderido ao parcelamento de débitos anteriores a possibilidade de optar por suspender o pagamento dessas obrigações de março a agosto de 2020. A medida garante que os empresários não tenham seus parcelamentos cancelados automaticamente em caso de inadimplência, como prevê a resolução nº 940/2019.

A decisão inclui também a possibilidade de novas contratações para parcelamentos de dívidas do FGTS, com carência de 90 dias para pagar. A medida vale enquanto durar o estado de calamidade pública decretado pelo Governo Federal, ou seja, até 31 de dezembro de 2020.

"Há a previsão de a empresa ficar seis meses sem ter que pagar para não ter rescindido o parcelamento. Para as novas contratações que forem feitas durante o estado de calamidade, a empresa também pode aderir a esse parcelamento e ter um prazo de três meses para fazer o pagamento, salvo no caso das parcelas rescisórias", explicou o conselheiro Guilherme Lazarotti, procurador-geral da Fazenda Nacional.

Suspensão do recolhimento do FGTS

A Medida Provisória 927/2020, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em 22 de março, prevê que as empresas possam suspender o recolhimento do FGTS dos funcionários por até três meses: março, abril e maio. Segundo a MP, o valor deverá ser pago em até seis parcelas, entre julho e dezembro deste ano, sem multas ou encargos. A medida vale para todas as empresas, independente do número de funcionários e da atividade econômica, incluindo empregados domésticos.

Todo o processo pode ser feito pela Internet, sem precisar ir a uma agência bancária. No caso do empregador doméstico, pelo eSocial. Nos demais casos, pelo Sefip, o Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social, um aplicativo desenvolvido pela Caixa voltado para o empregador.

Fonte: Governo do Brasil

Veja também

COVID-19: Novo decreto determina medidas para o setor privado em Nova Mutum30/03/20 A Prefeitura de Nova Mutum divulgou na última sexta-feira, 27, o novo Decreto Municipal de nº 045, determinando novas medidas voltadas ao setor privado de Nova Mutum, visando a manter a prevenção e o enfrentamento contra a epidemia do Coronavírus - COVID 19. Elas passam a valer a partir desta segunda-feira, dia 30 de março. Conforme o decreto, ficam autorizadas a funcionar......
Acidente de trabalho: normas e deveres da empresa28/10/20 As empresas devem estar preparadas e cumprir com todas as obrigações previstas em lei em caso de acidente de trabalho. Um acidente de trabalho ocorre quando um colaborador sofre algum tipo de lesão, temporária ou permanente,......

Voltar para Notícias

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.