Aba 1

Postado em 04 de Abril de 2018 às 15h49

ICMS para materiais de construção comprados fora de MT tem redução de 9%

Decreto assinado por Taques reduz a alíquota de 16% para 7%. Outro Decreto traz lista de benefícios fiscais para regularização no Confaz

Acenm/CDL Decreto assinado por Taques reduz a alíquota de 16% para 7%. Outro Decreto traz lista de benefícios fiscais para regularização no Confaz O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Nova Mutum (Acenm), Joemir...

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Nova Mutum (Acenm), Joemir Faccio, participou na última semana, em Cuiabá, do Encontro das Associações Comerciais Estaduais (ACE’s) - Novos Tempos (28 e 29/03), onde a classe discutiu o cenário econômico e pode acompanhar o desfecho de importantes negociações com o governo do Estado, resultado da mobilização das entidades representativas do empresariado.

Em solenidade no dia 28, o governador Pedro Taques assinou o Decreto Nº 1419/2018, que estabelece alíquota de 7% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na compra de produtos para construção comprados fora do Estado. Antes, o setor da Construção Civil era tributado com carga média de 16%. O benefício vigorará no exercício de 2018, aplicando-se em relação aos fatos geradores ocorridos no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2018.

Assinado na mesma ocasião, o decreto nº 1.420/2018 regulariza os incentivos, benefícios e isenções fiscais concedidos junto ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). O processo, que foi estabelecido pela Lei Complementar federal 160/2017, é realizado simultaneamente em todo país e compõe uma das etapas para a convalidação nacional da questão e combate a guerra fiscal.

O governo do Estado catalogou, junto com empresários, 138 leis, atos normativos e decretos que estavam nessa situação, entre eles o Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Prodeic), que atualmente atende 435 empresas.

Veja aqui o Decreto do ICMS.
Veja aqui o Decreto anti guerra fiscal.
Veja aqui a lista de Atos Normativos.


Conforme o secretário de Estado de Fazenda, Rogério Gallo, durante muitos anos os estados usaram desses instrumentos legais para regularizar os incentivos. Isto porque existia uma série de dificuldades em se conseguir a aprovação do Confaz, como o fato de precisar de uma votação unânime para cada projeto de incentivo. “A medida vai acabar com a insegurança das empresas que têm incentivos fiscais sem a aprovação do Confaz e ainda dar segurança para aquelas que estão em busca dos benefícios. A ideia é ainda acabar com a criação indiscriminada de benefícios para atrair empreendimentos, uma espécie de competição entre os estados, a chamada guerra fiscal”, afirma o secretário.

Gallo explica ainda que se a Justiça revogasse todos os atos de concessão de incentivos no país, haveria um sério problema econômico. As empresas seriam afetadas e os impactos cairiam sobre a geração de emprego e renda.

Joelmir Faccio, que juntamente com outros presidentes de Associações Comerciais Estaduais (ACE's) e com o presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat), Jonas Alves, participou da solenidade, ressalta que o ato traz segurança jurídica para as empresas e que o decreto irá reduzir as penalidades dos processos tributários. "Isso traz um impacto muito grande e positivo para os empresários. Mais um fruto da mobilização da classe empresarial”.

Redação: Assessoria Acenm/CDL, com informações da Facmat e da GCom

Veja também

Acenm/CDL acompanha entrega de viatura a 5ª CIBM08/07/14O investimento é fruto de reivindicações da classe empresarial mutuense e do poder público municipal O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Nova Mutum (Acenm), Carlos Alexandre Saito, acompanhou durante a última sexta-feira (3) a entrega de uma nova viatura destinada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado à 5ª Companhia Independente de Bombeiros Militar (CIBM) de Nova Mutum. O ato solene foi realizado na sede da Companhia, com presença do......

Voltar para Notícias

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.