Aba 1

Postado em 16 de Dezembro de 2019 às 09h10

Indústria de Mato Grosso registra pequeno crescimento, abaixo da média nacional

Além de Mato Grosso, o estado do Rio de Janeiro também cresceu abaixo da média nacional (0,2%).

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicada semana passada, a indústria brasileira cresceu 0,8% em outubro de 2019, na comparação com o mês anterior.

Houve incremento do setor em sete dos 15 locais pesquisados segundo Pesquisa Industrial Mensal Regional do IBGE.

Mato Grosso teve um pequeno crescimento, abaixo da média nacional (0,6%), mas já é um avanço, pois o setor vem enfrentando dificuldades no decorrer do ano.

Os destaques foram para Goiás (4,0%) que, pela quinta vez consecutiva, registra taxa positiva e acumulou ganho de 6,4% no período. O Amazonas teve alta de 2,3% e eliminou a perda de 1,6% de setembro. São Paulo cresceu 1,5%, a Região Nordeste, 1,2% e Bahia, 0,9%.

Situação Regional

Além de Mato Grosso, o estado do Rio de Janeiro também cresceu abaixo da média nacional (0,2%).

O Espírito Santo, que tinha registrado crescimento de 3,3% no mês anterior, teve queda de 8,1%, em outubro. Após crescer por três meses consecutivos, o Paraná registrou variação nula (0,0%) em outubro. Os outros locais com resultados negativos foram Pará (-1,3%), Ceará (-1,1%), Minas Gerais (-0,7%), Pernambuco (-0,6%), Santa Catarina (-0,6%) e Rio Grande do Sul (-0,2%).

Acumulado

A produção nacional caiu no período acumulado de janeiro a outubro de 2019, na comparação com mesmo período do ano anterior. A maior queda (14,0%) foi registrada no Espírito Santo em função dos resultados da indústrias extrativas (minérios de ferro pelotizados ou sintetizados, óleos brutos de petróleo e gás natural), celulose, papel e produtos de papel (celulose) e metalurgia (tubos flexíveis e tubos trefilados de ferro e aço, lingotes, blocos, tarugos ou placas de aços ao carbono e bobinas a quente de aços ao carbono não revestidos). As demais taxas negativas ficaram com Minas Gerais (-4,6%), Região Nordeste (-4,0%), Mato Grosso (-3,6%), Bahia (-2,8%), Pernambuco (-2,6%) e Pará (-1,3%).

Os avanços mais elevados no acumulado no ano foram notados no Paraná (6,9%) e no Rio Grande do Sul (3,7%). Também tiveram taxas positivas no período, Amazonas (2,9%), Goiás (2,8%), Santa Catarina (2,6%), Ceará (1,2%), Rio de Janeiro (0,9%) e São Paulo (0,4%).

Doze Meses

A indústria nacional caiu 1,3% nos últimos doze meses até outubro de 2019. No período, sete dos 15 locais pesquisados registraram taxas negativas. Apesar disso, seis locais tiveram maior dinamismo na comparação com setembro. Goiás saiu de -0,7% para 1,2%, o Rio de Janeiro de -0,4% para 0,3%, São Paulo passou de -1,1% para ? 0,4%, o Paraná de 5,2% para 5,9% e o Mato Grosso melhorou de -3,8% para -3,3%. Já as perdas ficaram com o Espírito Santo que saiu de -8,7% para -11,2%, o Rio Grande do Sul de 5,6% para 4,1%, o Pará de 1,6% para 0,2% e Santa Catarina de 3,5% para 2,6%.

FONTE: MT Econômico/IBGE

Veja também

Resultados da mobilização: Governo intensifica ações no setor de segurança em Nova Mutum22/07/15 O governo do estado tem sinalizado positivamente quanto aos investimentos no setor de segurança pública em Nova Mutum. Por se tratar de um polo de desenvolvimento regional a cidade está localizada em uma região estratégica do estado, além disso, é uma das que mais cresce, gerando emprego e renda. Diante dessa situação, representantes do......
Saque-aniversário do FGTS pode alavancar R$ 100 bi em crédito11/03/20 Trabalhadores da iniciativa privada poderão antecipar os valores do saque-aniversário do FGTS com crédito mais barato. O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse que até......

Voltar para Notícias

Acesse o regulamento no anexo a seguir:

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.