Aba 1

Postado em 08 de Outubro de 2014 às 14h56

Lei do Imposto na Nota: valor dos impostos deve constar na nota

O objetivo é mostrar ao consumidor o valor dos impostos que incidem em cada compra de mercadoria ou serviço

Acenm/CDL O objetivo é mostrar ao consumidor o valor dos impostos que incidem em cada compra de mercadoria ou serviço A Lei do Imposto na Nota (Lei nº 12.741/12, de 8 de dezembro de 2012) nasceu com o intuito de informar ao cidadão o...

A Lei do Imposto na Nota (Lei nº 12.741/12, de 8 de dezembro de 2012) nasceu com o intuito de informar ao cidadão o quanto representa a parcela dos tributos que paga a cada compra realizada.

Assim, todo estabelecimento que efetuar vendas diretamente ao consumidor final está obrigado a incluir nos documentos fiscais ou equivalentes os impostos pagos, valores aproximados e percentuais.

Como consumidores finais incluem-se as pessoas físicas ou jurídicas que adquirem produtos ou serviços, por exemplo, para consumo próprio, materiais de uso ou consumo e ativo imobilizado.

As Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes do Simples Nacional podem informar apenas a alíquota a que se encontram sujeitas nos termos do referido regime. Além disso, devem somar eventual incidência tributária anterior (IPI, substituição tributária, por exemplo).

Para o MEI, é facultativo prestar essas informações.

PRINCIPAIS PONTOS DA LEI

1 - Os cupons e notas fiscais referentes à venda de mercadoria e serviços devem informar o valor aproximado dos tributos federais, estaduais e municipais, cuja incidência influencia na formação do preço final;

2. A apuração do valor dos impostos deverá ser feita em 3 campos (um por ente) com a soma das cargas tributárias aproximadas que incidem sobre cada mercadoria ou serviço, separadamente, inclusive nas hipóteses de regimes jurídicos tributários diferenciados dos respectivos fabricantes, varejistas e prestadores de serviços, quando couber.

3 – As informações podem estar em painel afixado em local visível do estabelecimento comercial. Elas serão em percentual sobre o preço a ser pago, quando se tratar de tributo com alíquota ad valorem (sobre valor) ou em valores monetários (no caso de alíquota específica).

DEVERES DO EMPRESÁRIO

O que o empresário deve fazer? Caso utilize sistemas informatizados para emissão da nota ou cupom: atualizar seu software.

Caso utilize outra forma de emissão de documento fiscal deverá consultar as alíquotas e disponibilizar a informação em local visível de seu estabelecimento.
O Sebrae disponibiliza uma planilha para auxiliar o empresário a calcular o valor estimado dos tributos. Veja abaixo.

CALCULADORA DO IMPOSTO

Esta calculadora permite que o empresário informe o valor estimado dos tributos incidentes sobres seus produtos e/ou serviços, para atender as exigências da Lei 12.741/2012 – Lei do Imposto na Nota.

Seu contador pode auxiliar na utilização da Calculadora.

COMO USAR?

• Faça o download da Calculadora
• Abra o arquivo no Microsoft Excel (2003 ou Superior)
• Habilite as Macros (Opções no Canto Superior Esquerdo)
• Selecione sua Unidade Federativa (UF) – Estado ou Distrito Federal
• Selecione a Atividade mais próxima da sua
• Selecione seu Regime de Tributação (Simples ou Lucro Presumido)*
• Selecione sua Faixa de Receita*
• Clique no botão “Calcular Tributo”
• Clique no botão “Gerar Cartaz”
• Imprima o cartaz ou disponibilize em meio eletrônico em local visível do estabelecimento

* Em caso de Dúvidas a respeito dessas informações peça auxílio a seu contador

COMO É FEITO O CÁLCULO

O cálculo é feito a partir da Soma da Alíquota que incide sobre a faixa de receita do Simples Nacional, relativa à tabela corresponde à atividade exercida pelo empresário (Comércio – Anexo I, Indústria – Anexo II, Serviços – Anexos III, IV e V), acrescido do valor médio pago a título de substituição tributária para o segmento (se houver) na Unidade Federativa onde a empresa realiza suas atividades, estimado com base em estudos realizados pelo Sebrae e instituições de pesquisa especializadas.
Atende o disposto no art. 1º da Lei 12.741/2012 e art. 2º do Decreto 8.264/2014, que permite ao empresário informar os valores percentuais relativos à carga tributária aproximada, em consonância com o princípio do tratamento simplificado previsto no art. 179 da Constituição Federal.

Download da calculadora

PERGUNTAS E RESPOSTAS

Leia as principais dúvidas sobre o Decreto regulamentando a Lei n° 12.741

__________________

Fonte: Facmat

Veja também

Impostômetro da ACSP atinge marca de R$ 500 bilhões09/03 Marca foi atingida nesta sexta-feira (6), às 8h20, três dias antes na comparação com 2019. Aliado à queda no déficit público, dado mostra que economia está crescendo, mas ainda em ritmo lento A arrecadação do governo com taxas, impostos, contribuições e multas chegou aos R$ 500 bilhões nesta sexta-feira (6), às......
Aumento do ICMS em MT vai deixar produtos mais caros em 2020, dizem empresários27/12/19 Empresários de vários setores disseram que vão repassar aumento aos consumidores, um deles é o de medicamentos. Remédios vendidos no estado podem encarecer entre 18% e 37%, segundo o Sindicato das Farmácias. Por Leandro Maia, TV Centro América A partir......

Voltar para Notícias