Aba 1

Postado em 11 de Fevereiro de 2020 às 08h52

Pedidos de falência caem 29,6% em janeiro

Alertas e Comunicados (122)Economia e mercados (125)

De acordo com levantamento, os pedidos de falência caíram quase 30% no mês de janeiro.

Os pedidos de falência no País caíram 29,6% em janeiro deste ano em relação a dezembro e cederam 2,7% no acumulado de 12 meses finalizados em janeiro, conforme a Boa Vista.

Nessa base de comparação, as falências decretadas registraram queda de 13,4%. Os pedidos de recuperação judicial e de recuperações judiciais deferidas recuaram 8,2% e 6,4%, respectivamente, em 12 meses até janeiro.

Pedidos de falência

Em nota, a equipe da Boa Vista afirma que o recuo nos pedidos de falência e recuperação judicial no acumulado de 12 meses até janeiro deve-se à melhora nas condições econômicas desde 2017, que permitiu às empresas apresentarem sinais mais sólidos nos indicadores de solvência.

Em janeiro no confronto com dezembro, quando o nível de falência mostrou retração de 29,6%, houve declínio de 22,5% nos pedidos de recuperação judicial e de 28,6% nas recuperações judiciais deferidas. Em contrapartida, as falências decretadas subiram 14%.

Previsão

A dinâmica deve permanecer favorável para o setor empresarial, conforme o relatório. "A situação financeira das empresas somada à expectativa de leve melhora da atividade econômica neste começo de ano apontam para continuidade da tendência favorável nos indicadores para os próximos meses".

Fonte: Boa Vista

Veja também

Reparcelamento de débitos do Simples Nacional03/11/20 A ação visa estimular a regularização tributária dos contribuintes e, consequentemente, evitar ações de cobrança da RFB que podem ocasionar a exclusão do Simples Nacional. A partir de hoje (03) está disponível, no portal do Simples Nacional ou no portal e-CAC, o módulo para reparcelamento de débitos apurados pelo Regime......

Voltar para Notícias

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.