Aba 1

Postado em 21 de Junho de 2017 às 08h52

58% dos brasileiros pretende reduzir os gastos em junho, mostra indicador do SPC BRASIL e CNDL

Acenm/CDL 36% relatam aumento na fatura do cartão de crédito. 47% dos consumidores com empréstimos ou financiamentos admitem atrasos no pagamento de parcelas O Indicador de Propensão ao Consumo, calculado pelo...

36% relatam aumento na fatura do cartão de crédito. 47% dos consumidores com empréstimos ou financiamentos admitem atrasos no pagamento de parcelas

O Indicador de Propensão ao Consumo, calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), aponta que 58% dos consumidores planejam reduzir os gastos em junho – as principais justificativas são a tentativa de economizar (23%), os preços mais elevados (18%), o fato de estarem endividados (15%) e uma redução de renda (10%).
Refletindo sobre sua realidade financeira, a maior parte (42%) diz estar no zero a zero, sem sobra nem falta de dinheiro. Já 37% dizem estar no “vermelho”, sem conseguir pagar todas as contas e somente 15% dizem estar com sobra de dinheiro.

“A quantidade de consumidores no limite de seu orçamento pode ser reflexo da crise econômica, mas também não se pode desconsiderar a falta de organização financeira, que leva ao acúmulo de dívidas e a todas as consequências que decorrem do aperto, como o stress e até o desentendimento familiar”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. “O tempo que o consumidor passa cuidando de suas finanças pode determinar se, no final do mês, ele estará em aperto e dificuldades ou com as contas em dia.”
Excluindo itens de supermercado, na lista dos produtos que os consumidores pretendem comprar em junho, roupas, calçados e acessórios foram citados por 23%. Em seguida, aparecem os itens de farmácia (22%), recarga de celular (18%) e perfumes e cosméticos (13%).

42% dos consumidores disseram ter utilizado algum tipo de crédito

O Indicador de Uso do Crédito busca medir, numa escala de zero a 100, a demanda dos consumidores por empréstimos e crédito para compras a prazo pelos consumidores no mês anterior à pesquisa, sendo considerados empréstimos, financiamentos, cartões de crédito, de loja, crediários, e limite do cheque especial. Quanto mais próximo de 100 estiver o indicador, maior o uso do crédito; quanto mais distante, menor o uso. Em abril, foram registrados 27,6 pontos, ligeiramente acima dos 27,1 pontos de março.

Em termos percentuais, 42% dos consumidores disseram ter utilizado algum tipo de crédito em abril, sendo que o cartão de crédito foi a modalidade mais usada (36%), seguido de cartão de loja e crediário (14%) e limite do cheque especial (6%). Houve também utilização de empréstimos (4%) e financiamentos (3%), modalidades com critérios de concessão mais rigorosos.

Entre os consumidores que fizeram uso do cartão de crédito em abril, 36% relataram aumento do valor da fatura, enquanto para 38% o valor permaneceu o mesmo e para 25% houve diminuição. O valor médio reportado por esses entrevistados foi de R$ 917,3, desconsiderando-se 30% que não souberam responder exatamente quanto gastaram no cartão. Os itens de supermercado lideraram a lista de bens comprados, citados por mais da metade desses entrevistados (59%). Em seguida, 58% mencionaram a compra de remédios e itens de farmácias.

Para Marcela Kawauti, uma forma de evitar o desequilíbrio é não contratar um limite que comprometa toda a renda. “O consumidor com dificuldades de exercer o autocontrole na hora das compras deve evitar limites muito altos. Se o valor da fatura for igual ou próximo à sua renda, são grandes as chances de esse consumidor acabar no rotativo, pagando juros que excedem 400% ao ano”, diz.
47% dos consumidores com empréstimos ou financiamentos admitem atrasos no pagamento de parcelas.

Quando questionados sobre a dificuldade de contratar empréstimos e financiamentos, a maior parte (46%) opina que é difícil ou muito difícil, enquanto apenas 16% avaliam como fácil. Mas não é só no banco que há recusa ou dificuldade para tomar crédito: um quinto (21%) dos consumidores informa que teve crédito negado em alguma loja em abril, sendo que 9% foram barrados por estarem negativados, 4% devido à renda insuficiente e 3% por não poder comprovar a renda.

Alguns cuidados também devem ser observados na hora de contratar um empréstimo ou financiamento. De acordo com o indicador do SPC Brasil e da CNDL, 47% dos consumidores que têm essas modalidades de crédito ativas, independentemente de quando contrataram, atrasaram o pagamento de parcelas – sendo que 18% ainda estão com parcelas atrasadas.

Para Kawauti, se o empréstimo não visa a cobrir uma necessidade emergencial, pode ser o caso de esperar mais um pouco para tomá-lo: “Convém analisar a real necessidade de assumir um compromisso que, muitas vezes, só acaba depois de anos. Se o objetivo é a realização de um sonho de consumo, o mais prudente é constituir, antes, uma reserva financeira com esse propósito. Já se o objetivo for o pagamento de dívidas, o consumidor deverá optar por condições mais favoráveis, com juros menores e um plano de pagamento que caiba no seu orçamento. Caso contrário, pode cair no endividamento novamente”, analisa a economista.

Segundo o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro, embora os dados do indicador não permitam a comparação com período anterior à crise de 2015, os resultados podem estar influenciados pelo quadro de crescente desemprego e queda da renda das famílias, que se associa, ainda, a um quadro de maior restrição do crédito. “Tão logo se possa falar em recuperação da conjuntura econômica, com crescimento das vagas de emprego, da renda e a restauração da confiança no futuro da economia a tendência é observar uma busca maior por crédito”, conclui.

Metodologia

A pesquisa abrangeu 12 capitais das cinco regiões brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador, Fortaleza, Brasília, Goiânia, Manaus e Belém. Juntas, essas cidades somam aproximadamente 80% da população residente nas capitais. A amostra, de 800 casos, foi composta por pessoas com idade superior ou igual a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais.

Fonte: SPC BRASIL E CNDL

Veja também

Natal dos Sonhos da Acenm/CDL sorteará mais de R$ 80 mil em prêmios05/11/19Lançamento da campanha será nesta sexta (8), aberto ao público e com presença do Papai Noel da Acenm/CDL Com muitas novidades e modificações em relação às edições anteriores, a campanha Natal dos Sonhos 2019 será lançada pela Acenm/CDL nesta sexta-feira (08/11), nas dependências da loja Martinello. A premiação contempla mais de R$ 70 mil em vale compras e um caminhão de prêmios da Martinello, além de prêmios......
Acenm/CDL pede à Energisa restabelecimento do atendimento presencial22/05/20Sistema de atendimento à distância tem causado dificuldades e prejuízos a empresas Em ofício remetido nesta quarta-feira (20) à diretoria da Energisa Mato Grosso, na pessoa do diretor Sr. Amaury Antônio Damiance, a Acenm e a CDL solicitaram o restabelecimento com urgência do atendimento presencial na unidade de......
Matrículas abertas para cursos gratuitos na área comercial10/03/15 O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) está com matrículas abertas para dois cursos gratuitos com turmas em Nova Mutum, ofertados através do Programa Senac de Gratuidade (PSG), com apoio da Acenm/CDL. Os cursos, que......

Voltar para Notícias

Acesse o regulamento no anexo a seguir:

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.