Aba 1

Postado em 13 de Maio de 2020 às 08h19

BNDES exigirá menos documentos para facilitar acesso ao crédito

Economia e mercados (145)Fomento (79)Alertas e Comunicados (130)

Menor burocracia facilita também financiamentos em curso que venceriam antecipadamente sem documentos. A medida começou a ser implementada dia 11/05.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) suspendeu até setembro a exigência de uma série de certidões daqueles que procuram as suas linhas de crédito automático, Finame e as emergenciais, em linha com a Medida Provisória N° 958, de 24 de abril de 2020, e a Emenda Constitucional N° 106, de 7 de maio de 2020.

A suspensão desburocratiza e reduz obstáculos para aqueles que tiveram dificuldade em obter recursos do BNDES durante a pandemia do novo coronavírus. No dia 08, o BNDES enviou um aviso formal aos agentes financeiros parceiros informando-os sobre a suspensão das exigências.

Dessa forma, os empreendedores ficarão livres de apresentar na hora da proposta Certidão Negativa de Débitos relativos aos Tributos Federais e à Dívida Ativa da União (CND) ou Certidão Positiva com Efeitos de Negativa de Débitos relativos aos Tributos Federais e à Dívida Ativa da União (CPEND); Certificado de Regularidade do FGTS (CRF); Imposto Territorial Rural (ITR); e Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).

"A iniciativa tornará viáveis contratações de novos financiamentos, necessários para a diminuição do impacto da crise e retomada gradual da economia. Além de permitir acesso a crédito novo, as flexibilizações permitirão também manter ativos os contratos de financiamento já em curso que, por falta de documentação exigida até a edição da MP, seriam necessariamente levados à situação de vencimento antecipado", diz a nota do BNDES.

FONTE: CNDL

Veja também

Comerciante que descumprir lei do uso de máscaras será multado em R$ 80; dinheiro será revertido em sacolão22/04/20 Por Max Aguiar Os deputados estaduais aprovaram na sessão remota desta quarta-feira (22), na Assembleia Legislativa, a Lei que estabelece multa de R$ 80 para o comerciante que dexar algum cliente ou funcionário permanecer dentro de seu estabelecimento sem máscaras. Essa é a terceira modificação no projeto encaminhado pelo governador Mauro Mendes (DEM) para ser......

Voltar para Notícias

Nós utilizamos Cookies para trazer uma experiência mais relevante nas suas navegações. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.